Em busca do canal do Saia Velha

setembro 2, 2021 0 Por linhares

Vou registrar aqui a saga que foi (ainda é) identificar o traçado do “rego das cabaças”, antigo aqueduto construído no período colonial quando Luziânia era chamada de Arraial de Santa Luzia.

Não lembro a primeira vez que ouvi falar do canal, mas lembro de comentar com o pessoal do Instituto Cerratense em um dos nossos encontros. A informação que me passaram é que dava pra ver o “lugar em que ele pula a BR-040”.

Em fevereiro de 2017 fiz um passeio de jipe com meu pai e a baixinha. Passamos pela zona rural de Luziânia e chegamos até o morro onde fica a estação da Saneago. O lugar estava fechado e, de qualquer forma, o rego passa ao redor do morro e não exatamente onde fica o prédio.

Já em 2019 foram duas incursões de jipe. Na primeira, fui com meu pai até o “morro do careca” na cidade Osfaya. Este morro está registrado no atlas da missão Cruls e eu imaginei que eles pudessem ter aproveitado algum caminho coincidente com o canal do saia velha. Logo depois consegui identificar a fazenda Saia Velha no mapa do EB e voltamos para conferir o lugar. Desta vez acertei, mas o lugar está tão degradado que meu pai ficou cético se aquele ali era realmente o aqueduto.

Retornamos em 2021 para conferir a região mais próxima da linha do trem. Embora na imagens de satélite o contorno esteja claro, ao vivo não foi possível identificar nada… Ainda no mês de agosto, eu descobri uma notícia de que a primeira usina hidrelétrica de Brasília havia sido tombada pelo patrimônio histórico. O mais interessante era a informação de que a usina foi construída no mesmo local em que começava o aqueduto! Fui lá conferir e encontrei a usina dentro do clube Águas Correntes. A mata em volta é bem fechada e não consegui identificar nada relacionado ao rego, mas o passeio rendeu um vídeo no YouTube. No final do mês, parei na GO-520 chegando em Luziânia e tirei uma foto com o morro da Saneago ao fundo. Dá pra ver bem o corte no morro, neste trecho em que o rego está bem preservado e, inclusive, foi revitalizado por um grupo de ciclistas local, o @cerradobiketrilhas.

Enfim, consegui desenhar um traçado aproximado com extensão de 40 km, pouco menos que os 42 km originais. Este traçado se assemelha ao que foi proposto em 2005 nesta dissertação de mestrado da UCG, embora o mapa da monografia tenha omitido o primeiro trecho entre a usina do saia velha e a BR-040. Aliás, esta diferença me levou a procurar o rego na cidade Osfaya em 2019.

Os trechos preservados do canal podem ser razoavelmente identificados em imagens de satélite. Em especial nas imagens do geoportal do GDF com fotos de 2015. Nos demais trechos, segui as curvas de nível da camada “CycleOSM” do OpenStreetMap. A parte central é a mais difícil de identificar. Apenas segui a dissertação de mestrado que indica o rego próximo da BR-040. Aliás, acho que existem trechos preservados que podem ser visto bem ao lado da pista, mas é difícil ter certeza de que sejam antigos.

mapa
Traçado aproximado do rego do saia velha

Uma rua de traçado irregular no bairro Parque Três Poderes me chamou a atenção enquanto pesquisava sobre o Saia Velha. Essa rua tem o nome “Av. Goiás” no OSM, “R. Santo Antônio” no Google e “Antiga estrada para Formosa” no Bing maps!