Categorias
Moto Passeio

Balsa sobre o rio Maranhão

Passeio do dia 9 de julho de 2020 no entorno da cidade de Uruaçu, Goiás. Região do lago da Serra da Mesa.

Encontro da rodovia GO-050 com o Rio Maranhão [-14.661306,-48.774977]

Eu havia me deslocado para a cidade no dia anterior, quando pedi informações numa empresa de moto-táxi sobre meu trajeto planejado. Um rapaz muito solícito disse possuir parentes na região e me mostrou no Google maps alguns pontos, como por exemplo a balsa que eu pensava ser uma ponte!

Outra informação importante é que não haveria trilhas “single track“, o que me tranquilizou. Inclusive parte do caminho se tratava da rodovia estadual GO-050 que é uma estrada de terra larga e com piso nivelado.

Segui o roteiro planejado e, num momento que deveria virar à esquerda, encontrei uma porteira fechada. Só que eu havia acabado de passar por uma bifurcação que não estava marcada no mapa. Resolvi voltar e acessar essa estrada – deu certo e logo à frente os caminhos se reencontraram!

Cheguei na balsa e fiquei impressionado com o tamanho do rio! Afinal, era o próprio Rio Maranhão que foi represado para dar origem ao lago da Serra da Mesa.

A balsa é operada manualmente. Ofereci ajuda, mas o funcionário disse que “é mais jeito que força” (e eu não possuo nenhum dos dois! ). Não é cobrado taxa, mas gorjetas são bem-vindas!

Vídeo da travessia no instagram:

Eu pretendia subir até a torre de comunicações que fica no morro logo após da balsa, mas deixei para outra oportunidade.

Percorri poucos km na rodovia e dobrei à direita sentido povoado de Placas à margem da BR-080 onde eu esperava encontrar gasolina. 4 km antes do povoado, passei por uma mercearia que tinha toda a cara de vender gasolina em pet – bingo! Coloquei 2 litros por R$ 11,00 e segui viagem!

Enchendo garrafa pet com gasolina

Já na BR-080 voltando para Uruaçu, atravessei a ponte sobre o Rio das Almas e resolvi entrar à direita para explorar um pouco mais a região.

Passei próximo do lago, mas não cheguei até a margem. Retornei por um canavial até o asfalto. Ainda explorei uma estradinha próxima da linha do trem, mas era sem saída. Terminei o passeio por asfalto mesmo. Não sem antes tirar fotos de algumas árvores seringueiras à beira da estrada.

Rancho Canto da Serra

E que venham as próximas aventuras!

Abraços, Linhares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *